Introdução à guerra civil, de Tiqqun

Apresentação O que segue é uma tradução de passagens selecionadas do texto intitulado Introduction à la guerre civile, inédito em língua portuguesa, que abre o segundo número da revista filosófica francesa Tiqqun – Organe de liaison au sein du Parti Imaginaire, número este que recebe o título Zone d’Opacité Offensive. De acordo com a Wikipédia, […]

O P2P e a estratégia comum da multidão

O conceito de propriedade privada, assim como o direito que lhe é correlato, vem se tornando obsoleto: essa é uma constatação que tem sido feita, com mais ou menos dramaticidade, por inúmeros pesquisadores que desenvolvem atualmente pesquisa de ponta, em diversas campos (filosofia, sociologia, ciências econômicas, políticas, jurídicas), tanto dentro quanto fora do universo do […]

Conceitos jurídicos indeterminados, ativismo judicial e ideologia

Nem a legislação ordinária, nem a Constituição fornecem os fundamentos que são necessários para se tomar qualquer decisão de mérito que seja. O que a lei especifica são só os procedimentos, os fundamentos do mérito propriamente falando não encontram suas definições na lei, embora sejam tratados como “direitos fundamentais”. A lei indica princípios materiais, em […]

Em defesa da democracia

Quando alguém, muito bem intencionado, diz que os EUA não são uma democracia, fico pensando de que espécie de idealismo teórico esse pobre bem intencionado foi convencido. Os EUA não são uma democracia, eles inventaram a democracia! Eles fizeram isso em 1776, ao declararem a independência. Antes disso, ao longo da história ocidental inteira só […]

Contra o formalismo fascista: sobre a prisão de Lula

A questão da prisão de Lula não é estritamente jurídica, mas política, tanto em sua motivação quanto em seus efeitos. No caso, não estamos diante de uma decisão que possa ser legitimada formalmente, com apelo a uma juridicidade abstratamente universal, que pretende se autorizar por ser cega em relação à concretude da história. A lógica […]

Para cortar a democracia corrupta (por uma ditadura do infoproletariado)

Em geral, misógina, hierarquizante e unificacionista, a versão aristotélica da sabedoria prática deixa vazar um certo pluralismo. Aristóteles, naquilo que faz de melhor, discerne múltiplas formas de governo, sem recomendar, todavia, nenhuma delas. É o que lhe permite ter uma concepção de ditadura mais ampla do que a nossa. Para Aristóteles, a “ditadura” – ou […]